Quem não tem é escravo de quem tem: migração camponesa e a reprodução do trabalho escravo contemporâneo
14 de agosto de 2017
Trabalho escravo é ainda uma realidade no Brasil
14 de agosto de 2017
Exibir tudo

Trabalho escravo contemporâneo: a construção social de um problema público no Norte fluminense

Este artigo analisa a construção social do problema do trabalho escravo, considerando seus sentidos e significados e as estratégias de erradicação no Norte Fluminense. Foi efetuada uma pesquisa qualitativa, referenciada pela Psicologia Social, especificamente pela concepção de Berger, Luckmann e Lenoir sobre a construção social da realidade. Foi feita uma ampla investigação bibliográfica (jornais da região, textos acadêmicos e documentos institucionais) e realizadas entrevistas com atores sociais locais (trabalhadores, movimentos sociais, órgãos públicos). Para o tratamento dos dados, foi utilizada a Análise Crítica do Discurso. Os resultados demonstraram as peculiaridades dos processos de enunciação, reconhecimento, legitimação e institucionalização do problema na região, mediante a reivindicação de trabalhadores, a formação e ações de um Comitê Popular e a atuação do Estado na fiscalização do problema.

 

Artigo Original

 

Fonte: http://www.scielo.br/pdf/psoc/v27n1/1807-0310-psoc-27-01-00120.pdf

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *