SP e RJ – Só 6 candidatos em SP e Rio assumem compromisso contra trabalho escravo
17 de agosto de 2017
21 trabalhadores em condição de trabalho escravo são libertados em Goiás
17 de agosto de 2017
Exibir tudo

Fiscalização continuada, apenas três casos de trabalho escravo foram libertados em 2016

Em 2017, foram 70 casos de trabalho em condições análogas à escravidão. Em 2016, a mobilização dos auditores fiscais por melhores condições de trabalho no Estado, com paralisação das atividades a partir de agosto, comprometeu a fiscalização.

Número de pessoas resgatadas do trabalho escravo reduziu 95% de 2015 para 2016. No ano passado, foram apenas três trabalhadores retirados de situações análogas à escravidão. No ano anterior, foram 70 pessoas nessa situação, uma redução de 95% do número de casos apanhados.
Dados foram apresentados na manhã desta segunda, 30, durante coletiva sobre ações de combate ao trabalho escravo no Estado, na sede da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego no Ceará (SRTE/CE). A queda drástica não reflete melhorias nas relações trabalhistas, mas à paralisação dos auditores fiscais. Eles pedem concurso público e pararam as atividades desde agosto de 2016.
Os três casos de trabalho análogo à escravidão 2016 foram flagrados em Fortaleza, em obras da construção civil. Um deles na Praia de Iracema e os outros dois, no Centro. “Ele (o trabalho análogo ao escravo) transforma o ser humano em coisa. O trabalhador perde a sua dignidade. O que nós fazemos é tentar resgatar essa dignidade”, informa  Sérgio Carvalho, auditor Fiscal do Trabalho.
Redação O POVO Online
Fonte: http://www.opovo.com.br/noticias/fortaleza/2017/01/sem-fiscalizacao-continuada-apenas-tres-casos-de-trabalho-escravo.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *